ms.abra

Após intensas negociações e discussões, que avançaram na madrugada de terça para quarta, com as autoridades estaduais e outras entidades, a Abrasel MS – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Mato Grosso do Sul avaliou o decreto com medidas de restrições, publicado pelo Governo do Estado nesta quarta-feira (10).

O presidente da Abrasel MS, Juliano Wertheimer, fez algumas ponderações sobre o decreto. “Obviamente, o decreto é ruim para o nosso setor, pois vem num momento em que não temos mais reserva financeira para queimar e as novas medidas de apoio do Governo Federal ainda não chegaram. Muitos empresários já falam em demissões em massa”.

O presidente lembrou que a minuta que circulava nas redes sociais era mais rígida do que a foi publicada. “Após a pressão do setor e as nossas conversas com as autoridades estaduais, tivemos duas pequenas melhoras na minuta original, que foi a conquista do domingo de trabalho e o adiamento do início das medidas para o dia 14, o que dará tempo para a utilização dos insumos perecíveis adquiridos para o fim de semana.”

Juliano também informou que as negociações continuam. “Continuamos buscando o diálogo com o poder público para demonstrar que a grande maioria dos bares e restaurantes seguem as normas de biossegurança e não são focos de transmissão da doença, e dessa forma conseguir flexibilizar o toque de recolher, para que os restaurantes que vivem exclusivamente do horário noturno consigam trabalhar”.

Comentários